Centro de Pesquisas

MINHA HISTÓRIA

Moacir R. S. Junior

 

Uma pessoa, curiosa (extremamente curiosa!)que busca saber a verdade por trás dos mistérios do Universo; que ama os enigmas e mistérios; que investiga exaustivamente os enigmas relacionados a Deus, às profecias milenares sobre o futuro da Humanidade; que pesquisa os segredos da Numerologia Bíblica (desvendando os mistérios da Mente Matemática de Deus); e que gosta de se divertir com a mágica dos números.  

No inicio era apenas uma obsessão, uma coisa estranha que poderia acabar, no mínimo, em um hospício.  

Conheça agora uma história real, com um começo esquisito e um final impressionante.

 

 O JOVEM QUE DESCOBRIU O SEGREDO DO NÚMERO 7

 

Há muitos e muitos anos, o rei Salomão pediu sabedoria a Deus.

Há pouco tempo, em 1987, um jovem chamado Morganne pediu a Deus o mistério. Será que Deus atendeu tal oração absurda?

PRINCIPIO

No primeiro dia da criação, Deus fez a luz, e separou a luz das trevas.

No segundo dia fez o firmamento com todos os seus planetas.

No terceiro dia fez surgir a terra das águas.

No quarto dia fez o sol, a lua e as estrelas.

No quinto dia fez as aves e os animais aquáticos.

No sexto dia fez os animais domésticos, os répteis e os animais selvagens.

E nesse mesmo dia fez o homem e a mulher.

No sétimo dia, Ele fez mais alguma coisa e depois concluiu toda a Sua obra.

Então, Ele abençoou o sétimo dia e nele descansou. DESCANSOU?  Como é que o Criador de todas as coisas poderia se cansar?

E por que Ele precisou de 7 dias para criar o mundo se Ele, sendo Todo-Poderoso, poderia ter feito tudo num segundo, num piscar de olhos?

UM MISTÉRIO E UMA OBSESSÃO

Esta é a história real de um jovem chamado Morganne.

Corria o ano de 1987, segundo semestre. Talvez Julho ou Agosto. Tudo que sabemos é que era um dia de muito vento e sol. Ele estava no quintal de sua casa, debaixo de umas árvores. Ele acabara de passar por uma grande depressão e encontrava-se ainda com suas emoções abaladas. Bastante pensativo, meditava nas coisas que tinham mexido com seu coração. Queria respostas para centenas de perguntas. Queria saber o “porquê” das coisas. Começou a se interrogar a respeito da vida. Por que afinal estamos aqui? O que é a verdade e onde está ela? Por que o coração do ser humano chega a ser mais cruel do que uma fera selvagem? Repentinamente, aquelas meditações começaram a tomar um rumo inesperado.

Quem era realmente Deus? Seria mesmo verdade aquilo que os religiosos pregavam sobre Deus? Mas por que tantas divergências? Será que Deus seria mesmo aquele ser estranho, uma espécie de ditador que adorava aprontar pegadinhas maliciosas com os seres humanos? Ou a verdade seria outra? Morganne começou a pedir compreensão sobre os mistérios da vida. Mas pediu algo estranho também. Pediu a Deus um mistério. Um mistério capaz de mudar radicalmente sua vida, e que lhe revelasse o sentido da vida. Diferentemente do rei Salomão (que um dia tinha pedido sabedoria a Deus), Morganne queria um mistério. Um mistério que revelasse a razão de sua existência na terra. Um mistério que tivesse ligação com os pensamentos de Deus, e que revelasse o propósito do ser humano no Universo. Em suma, o estranho pedido se resumia nisto: ELE QUERIA A REVELAÇÃO DE UM MISTÉRIO.

Que mistério? E por que esse pedido? Para lhe fazer esquecer os últimos acontecimentos? Uma fuga, talvez? Não. Pois ele sabia que havia alguma coisa especial por trás das crenças religiosas tradicionais. Uma coisa que os próprios líderes religiosos ou sabiam e faziam questão de não saber ou simplesmente ignoravam. O jovem não acreditava que o Deus que criou o Universo e tanta coisa boa fosse simplesmente “aquele deus” apresentado pela maioria dos religiosos. Tentando entender o mistério da vida, ele encontrou Deus. Mas antes que encontrasse Deus, encontrou o mistério.

Janeiro de 1988. Certo dia, folheando um jornal, Morganne teve sua atenção despertada para um artigo, intitulado “SETE”, que descrevia uma coleção envolvendo o número 7 nas artes, religiões, política, história, ciências, filosofia, etc. Lá dizia, entre outras coisas, que: o número 7 na Bíblia é o número divino; no judaísmo é o da mensagem; para os budistas é o místico; para os teosofistas é o da sorte; para os muçulmanos é o do céu; para os gregos é o da sabedoria; para a numerologia é o do mistério; para a maçonaria é o absoluto; para a umbanda é o da magia branca; e para a quimbanda é o da magia negra. E em seguida, havia a seguinte coleção:

·        7 são os dias da semana;

·        7 são as cores do arco-íris;

·        7 são os algarismos romanos;

·        7 são as colinas de Roma;

·        7 são as cidades sagradas da India;

·        7 as torres de Constantinopla;

·        7 eram as Artes na Antiguidade;

·        7 eram as Belas-Artes;

·        7 eram as Maravilhas do mundo antigo;

·        7 eram os sábios da Grécia;

·        7 as notas musicais;

·        7 os anões da Branca de Neve;

·        7 os edifícios sagrados da antiga Babilônia;

·        7 foram os reis da antiga Roma;

·        7 rainhas na História foram chamadas de CLEÓPATRA;

·        7 eram os deuses da antiga mitologia chinesa;

·        7 é a nota mínima para aprovação;

·        O canário nasce aos 14 dias (2 x 7); a galinha aos 21 dias (3 x 7); os patos e gansos aos 28 dias (4 x 7); o ganso silvestre aos 35 dias (5 x 7); e os papagaios e avestruzes aos 42 dias (6 x 7).

·        No ciclo genital da mulher, a ovulação ocorre no 14.º dia ( 2 x 7); a implantação do óvulo na cavidade interna é no 21.º dia (3 x 7); o ciclo menstrual é de 28 dias (4 x 7), e a gravidez se completa em 280 dias (40 x 7).

Morganne achou bastante interessante, mas jamais imaginou aonde aquilo tudo haveria de levá-lo. Guardou o jornal, e procurou esquecer o que havia lido. Mas alguma coisa inquietava sua mente. Nos dias seguintes, fez uma pesquisa em vários livros (a maioria de História Geral), e descobriu mais coleções envolvendo o número 7. Por exemplo:

·        Na religião Islâmica, são 7 os céus e são 7 as portas do inferno;

·        O peregrino do islã deve dar 7 voltas em torno da Caaba Sagrada (um ídolo); e, em certo ritual, lança para trás de si 7 pedras, para afugentar o demônio.

·        De acordo com a religião Budista, Buda passou 49 dias (7 x 7), em meditação debaixo da árvore Bô;

·        Há as 7 jóias de Chakravarti;

·        Há 7 meios para o homem se tornar puro: domínio de si mesmo, investigar a verdade, energia, alegria, serenidade, concentração e magnanimidade.

·        Na religião Egípcia, são 7 os sábios nascidos do olho direito de Amon Rá, o deus-sol.

·        No antigo Egito, a múmia de um Faraó era colocada de frente para o Oriente, para “ver” o sol nascer 7 vezes.

·        Os egípcios guardavam no leito do filho recém-nascido 7 pedras de cores diferentes. Para eles, o número 7 era símbolo de longa vida.

·        Na religião Católica Romana, 7 são as glórias da Virgem;

·        7 são os Sacramentos;

·        7 são os pecados mortais;

·        7 são as virtudes;

·        7 são as ordens eclesiásticas;

·        Há a missa de 7.º dia.

·        Há ainda na tradição católica: as 7 quedas de Cristo, do jardim à casa de Anás, 7 mistérios da coroa, 7 gozos de São José, 7 espadas cravadas no peito da Virgem da Amargura, etc.

·        Na Mitologia greco-romana, Vênus possuía um cinto mágico com as 7 armas da sedução feminina;

·        São 7 os tubos da flauta de Pã;

·        São 7 as cordas da lira de Apolo;

·        São 7 os véus de Íris;

·        O minotauro (monstro fabuloso) exigia como sacrifício 7 moças e 7 rapazes anualmente.

 

Na linguagem popular,

 

·        Atingir o 7.º céu – significa o máximo de felicidade;

·        Pintar o 7 – fazer travessuras;

·        Fechar a 7 chaves – bem trancado;

·        Homem de 7 instrumentos – pessoa que exerce muitas atividades diferentes;

·        7 fôlegos – ser resistente ou persistente;

·        7 costados – pessoa de linhagem nobre;

·        7 ameixeira – na Hungria, significa pessoa muito pobre;

·        Tipo 7 – pessoa fina (no sentido de elegante), coisa de valor, objeto raro;

·        Barriga de 7 almoços – individuo comilão, também chamado de barriga de 7 malas;

·        Bicho de 7 cabeças – coisa muito complicada;

·        7 cães e um osso – alusão feita a uma coisa que é desejada por muita gente;

·        Andar nas suas 7 quinas – significa viver contente, cheio e alegria;

·        Viajar pelos 7 mares – viajar pelo mundo todo;

·        7 falas doces usa uma pessoa quando engana alguém;

·        O gato tem 7 vidas;

·        Há 7 anos de azar para quem quebrar um espelho;

·        7 virtudes – apelido de cachaça, no Nordeste. Dizem os viciados que ela aquece, refresca, anima, clareia, sara, alegra e faz esquecer. Na verdade, isso são 7 tolices.

Morganne se perguntava: isto é somente coincidência ou envolve algo mais sério? Faz algum sentido? Por que essa preferência das culturas e religiões pelo número 7?

Ele achava que isto não tinha importância nenhuma. Em Março de 1988, começou seus estudos no Ensino Médio, quando, durante todo o ano, passaria a ser chamado por um número. Ao ouvir que seu número naquele ano seria 34 ele achou que era imaginação demais relacionar com o número 7, pois 3 + 4 = 7. Ele pensou ser apenas uma coincidência, um impulso psicológico ou algo parecido. Disse para si mesmo: “Preciso tomar cuidado.” Mas lembrou-se que durante todo o período ginasial nunca tivera um número relacionado com o número 7. Seus números geralmente eram: 20, 23, 26, etc. Então foi observando algumas coisas que antes não tinham importância.

 PERSEGUIÇÃO INQUIETANTE

Morganne passou a trabalhar numa pequena empresa bancária e como todo funcionário, possuía uma conta. Todos os 12 funcionários tinham uma conta de 8 algarismos, começados com qualquer número: 5,6,9,2, etc. NENHUMA CONTA COMEÇAVA COM O NÚMERO 7... ATÉ ELE CHEGAR! Sua conta era a única que começava com o número 7. Seria somente coincidência?

Certo dia, uma experiência esquisita o deixou mais perturbado. Na cantina do seu local de trabalho havia 7 copos de vidro. No fundo de cada um tinha um número qualquer. Somente havia um copo com o número 7. Certo dia, o Supervisor Geral quebrou um copo sem querer. Era exatamente o de número 7. Ele sorriu, olhou para Morganne e disse: “Por que tu não contas os cacos?” (Ele sabia que Morganne estava pesquisando sobre o número 7). O jovem sorriu também. “Claro que eu não farei uma besteira dessa”. Pensou. Porém, quando o supervisor saiu, Morganne ficou inquieto e curioso. Como estava sozinho, resolveu contar os cacos. Teve outro susto. O copo tinha se quebrado em exatamente 7 cacos. Aquilo já estava parecendo alguma espécie de feitiçaria e não mais coincidência.

Aquilo começou a virar uma obsessão. Tudo que ele fazia aparecia alguma coleção de 7 coisas pelo meio. Às vezes ele pedia para algum amigo abrir numa página qualquer de um livro, e depois fazia o mesmo. Sempre era uma página onde aparecia o número 7.

Chegou ao final do ano e ele ficou ansioso para que começasse logo o ano letivo do ano seguinte, para provar de uma vez por todas que aquilo tudo era somente coincidência. Ele teria um novo número no colégio e esse número nada teria a ver com o número 7.

 Mas no segundo ano do Ensino Médio, seu número foi novamente 34 (mesmo com uma quantidade diferente de alunos). É claro que ele ficou mais inquieto. Dois anos seguidos, com o mesmo número relacionado ao número 7. Já era algo para pensar. Mas por que não mais uma coincidência? Porque as coisas não pararam por ai. No inicio daquele ano, ele havia levantado bem cedo, ligou a TV e, enquanto se vestia, entretia-se com um filme de artes marciais que estava passando. Mas no momento em que apareceu o letreiro com o nome do filme, ficou inquieto. O filme se chamava “OS 7 HERÓIS DO KUNG FU”.  Isso poderia não ter importância (= Há centenas de filmes, cujos títulos envolvem o número 7)” .

Porém as coincidências só aumentavam. No mesmo dia aconteceram outras e outras e outras, sem pausa para respirar. Ele tomou o café da manhã e saiu. Quase se chocava contra uma pequena mesa, na rua, perto da sua casa, pois estava muito distraído. Mas sobre a mesa havia uma revista em quadrinhos. Ele teve um pensamento. Abriu a revista e a primeira história tinha como título: “AS 7 CIDADES DE CÍBOLA (Duck Tales, os caçadores de aventuras, Walt Disney)”. Olhou ao redor, procurando alguém. Talvez alguém tivesse aprontado aquela brincadeira. Mas acontece que (na época) ninguém sabia ainda  que ele estava obcecado com o número 7.

Aquele dia (inicio de 1989) era o dia de renovação de matrícula. Quando ele chegou ao Colégio para se matricular para o 2.º ano do Ensino Médio, perguntou para a Secretária quantas pessoas já tinham se matriculado. Ela disse calmamente que 6 pessoas já tinham se matriculado... e ele seria a SÉTIMA. “SERÁ QUE ESTOU FICANDO DOIDO?” – Pensou Morganne, seriamente preocupado.

Ora, ele não queria um mistério? Pois estava ali. Mas o que aquilo teria a ver com Deus, se parecia mais coisa do diabo? Quando as aulas recomeçaram, as coincidências triplicaram, e ele lutou muito para se concentrar nos estudos.

Muitas coisas envolvendo o número 7 começaram a perturbar Morganne. Aconteceu um caso que ultrapassou todos os outros em matéria de coincidência. Ele conversava com seus amigos sobre suas pesquisas sobre o número 7. Então um certo jovem começou a desacreditar daquela história e passou a dizer que tudo era mentira.

- Vocês não têm o que fazer? Eu queria que acontecesse comigo – o rapaz deu um passo em direção a Morganne e o desafiou.

- Tu queres uma prova? – Disse um jovem, que, naquele exato momento, saía de uma igreja bem diante da praça, onde eles estavam debatendo. Ele conhecia as coincidências envolvendo Morganne e o número 7 e sem hesitar, entregou uma Bíblia para o jovem desafiante e pediu-lhe para abrir numa página qualquer.

O zombador sorriu. Quando abriu o Livro Sagrado, pareceu ter um choque. Espantado, tentou fechar a Bíblia, mas foi impedido por um dos amigos de Morganne. A página aberta foi mostrada para quem quisesse ver. Era a página de número 777 ! Isso mesmo: três números 7 de uma só vez.

- Ora, isso é feitiçaria! – Ele saiu dali rapidamente, transtornado e confuso. Soube-se depois que ele passara o resto da noite rezando, achando que estava mexendo com jovens feiticeiros.

         É claro que Morganne (mais do que ninguém) ficou ainda mais preocupado. Ninguém fez qualquer manipulação na Bíblia, o jovem desafiante poderia ter aberto em qualquer lugar, mas foi exatamente na página 777.

         Por causa das absurdas coincidências envolvendo o número 7 Morganne começou a ser observado com olhares desconfiados. As pessoas achavam que ele era realmente algum bruxo. Mas será que aquilo que estava acontecendo era obra maligna?  Naquele mesmo ano ele começaria a descobrir a verdade.

Ele começou a observar que sempre houve algumas coisas relacionadas ao número 7 em alguns momentos importantes de sua vida.

Seus três melhores amigos moravam em casas cujos números era múltiplos de 7. Patrício morava na casa número 49 (7 x 7), Sales na casa 77 e Timonthy na casa 28 (4 x 7). A casa de Morganne nunca teve número.

Ainda em 1988, uma moça (conhecida como Francesa) ficou muito interessada nas coincidências sobre o número 7. Ela era vizinha de Morganne e ambos começaram estudar juntos no 1.º ano do Ensino Médio. 

Morganne recebeu o número 34 e ela o número 16 (1 + 6).

No ano seguinte, Morganne recebeu novamente o número 34 e ela exatamente o número 7.

Então ela mudou de cidade (em 1990), onde concluiu os estudos. Mas no último ano do Ensino Médio seu número foi novamente 7 e Morganne ficou com o número 27.

Qual o significado desses mistérios? O que todas essas coincidências envolvendo o número 7 queriam dizer? Isso era coisa boa ou má? Era uma mensagem de Deus ou do Diabo? Uma coisa era certa: Aquela oração pedindo o mistério estava sendo atendida. E ele acreditava que somente Deus podia estar fazendo aquilo. Com qual propósito ele não sabia.

Por que as religiões e tradições têm essa preferência pelo número 7? – Perguntava-se Morganne, cada vez mais aprofundando-se em suas pesquisas - Será que existe uma só verdade, sendo que essa verdade está repartida entre todas as religiões? Será que todas as religiões conduzem a Deus? Será que os propagandistas do Ecumenismo (= a união de todas as religiões) estão certos?

ENCONTRANDO A PISTA CERTA PARA O DESVENDAMENTO DO MISTÉRIO

De repente, uma reviravolta na vida de Morganne. Um amigo o convenceu a visitar uma Igreja Evangélica. Recentemente, outro amigo seu tinha se convertido à crença evangélica. E a mesma coisa aconteceu com Morganne. Ele acreditou na mensagem bíblica de que o homem é pecador por natureza e só há uma forma de fazer as pazes com Deus: ACEITANDO O SACRIFICIO EXPIATÓRIO DE JESUS CRISTO NA CRUZ DO GÓLGOTA, isto é: aceitando que Jesus morreu com o único objetivo de resgatar a alma do homem de volta para Deus.

Morganne realmente sentiu uma grande leveza na sua alma, uma paz interior profunda, como nunca tinha sentido antes. As coisas estavam correndo muito depressa. Mas ele ainda não tinha desvendado o mistério do número 7. O estranho é que as esquisitas coincidências começaram a desaparecer. Não mais aconteciam com tanta freqüência, mas ainda aconteciam. Ele sempre ouvira dizer que a Bíblia é um livro espiritual, que só pode ser compreendida por pessoas espirituais. Em outras palavras: somente um homem convertido, nascido de novo, em paz com Deus, poderá entender as revelações da Bíblia, visto que ela foi inspirada por Deus mesmo e escrita por homens muito espirituais. Seria mesmo verdade?

Então ele resolveu ler a Bíblia... e passou a se surpreender com a enorme quantidade de setes espalhadas por todas as páginas do Livro Sagrado.  “A resposta do enigma deve estar aí” – pensou ele. O jovem começou a ler a Bíblia em busca de revelações sobre a verdade. E, admirado, começou a perceber as centenas de coleções envolvendo o número 7, do primeiro ao último livro. Sempre ouvira alguém dizer que o número 7 era conta de mentiroso, mas estava descobrindo o contrário. O número 7 era o número da verdade. Do primeiro ao último livro da Bíblia, o número 7 aparece milhares de vezes claramente ou ocultamente, formando coleções. É uma coleção impressionante.

A Bíblia começa mostrando Deus criando o mundo em 6 dias e descansando no 7.º. Mais do que isto, no primeiro livro da Bíblia (Gênesis) diz que DEUS ABENÇOOU O 7.º DIA.  Portanto, a primeira vez que o número 7 aparece na Bíblia é ao lado do verbo “abençoar”, e por incrível que pareça, o 777.º (SETINGENTÉSIMO SETUAGÉSIMO SÉTIMO) versículo da Bíblia (Gênesis 28.3), diz: “DEUS TODO PODEROSO TE ABENÇÔE...”. Na 7.ª vez em que Deus fala na Bíblia, está escrito: “E DEUS OS ABENÇOOU, DIZENDO:  SEDE FECUNDOS, MULTIPLICAI-VOS...”  (Gen 1.22). O nome do primeiro livro da Bíblia (GÊNESIS), tem 7 letras, e começa com a 7.ª letra do alfabeto.

Morganne estava perplexo diante de tantas aparições do número 7 na Bíblia.

As coisas começavam a ficar cada vez mais claras. Os capítulos 1 e 2 de Gênesis mostram Deus criando o mundo em 6 dias e descansando no sétimo dia, exatamente no sétimo dia. Por quê?

O HOMEM FOI CRIADO NO 6.º DIA - O primeiro homem e a primeira mulher foram criados no 6.º dia, isto é, depois de todas as outras coisas. Morganne começou a notar que, a partir daí o número 6 sempre aparece nas Escrituras, relacionado intimamente ao homem (e geralmente à alguma ação pecaminosa humana). No relacionamento de Deus com o povo de Israel, Ele ordenou que o homem trabalhasse 6 dias e descansasse no sétimo.

Mas por que será que Deus criou a raça humana somente no 6.º dia? Por que até os animais foram criados primeiro? Será que os seres humanos são inferiores aos animais? Claro que não! Nas Escrituras Sagradas, o mais importante vem por último. Os últimos serão os primeiros. Assim, a última criação de Deus é mais importante do que as primeiras. O homem é o centro e a coroa da criação.

Morganne estava plenamente consciente de que, na Bíblia 6 é O NÚMERO DO HOMEM! A grande pesquisa de Morganne chegou às seguintes conclusões:

Como já foi observado, há uma intima ligação entre o número 6 e o homem (ou seja, o ser humano, homem e mulher). Mas a grande maioria dessas ligações possui um aspecto negativo. Alguns exemplos:

a) O gigante Golias, que desafiou o povo de Deus, tinha 6 côvados de altura (aprox. 3 metros) e a ponta de sua lança pesava 600 siclos (100 x 6). 600 siclos era aprox. 7 kg. Além de tudo, Golias possuía 6 armaduras; O rei Nabucodonosor mandou levantar uma estátua que tinha 60 côvados de altura (30 metros) e 6 de largura, e ordenou que ela fosse adorada (Daniel cap. 3); Faraó perseguiu o povo de Deus com 600 carros. E foi no ano 600 de Noé que veio o Dilúvio sobre a terra e justamente no versículo 6 do 6.º capítulo do primeiro livro da Bíblia (Gênesis), DEUS SE ARREPENDE DE HAVER CRIADO O HOMEM! 

b) O livro do Apocalipse fala de um homem terrível que perseguirá o povo de Deus. Os profetas dizem que será o mais cruel dos homens. A profecia revela que, se o nome desse homem mau for calculado, terá o valor de 666. Esse homem terrível é chamado de Besta (= Fera selvagem) exatamente 36 vezes, que é 6 x 6. Além do mais, se somarmos os números de 1 a 36, teremos como resultado exatamente 666.  Satanás (o inimigo de Deus e da Humanidade) é citado exatamente 18 vezes no Antigo Testamento (6 + 6 + 6 = 18), e seu nome aparece justamente 36 vezes no Novo Testamento (6 x 6) nas versões da Bíblia em língua portuguesa.

c) O primeiro livro da Bíblia com nome de homem (JOSUÉ), é justamente o 6.º e no capítulo 6 desse livro mostra a destruição de Jericó uma cidade rebelde. É bom observar também que esse 6.º livro tem exatamente 24 capítulos, ou seja, 4 x 6. Na Bíblia, o homem sem Deus é chamado de VELHO HOMEM e esta expressão aparece no 6.º livro do Novo Testamento (ROMANOS), no 6.º capítulo e no 6.º versículo. Há exatamente 6 palavras significando HOMEM, nos textos originais da Bíblia

d) O ano está dividido em 12 meses (2 x 6). O mês está dividido em 30 dias (5 x 6). O dia está dividido em 24 horas (4 x 6). A hora tem 60 minutos (10 x 6). De igual forma o minuto, que tem 60 segundos (10 x 6). O homem está mesmo vinculado ao 6. E não foi por menos que Deus o criou no 6º dia.

e) Jesus sofreu 6 horas na cruz, no 6.º dia da semana, para resgatar o homem de volta para Deus. E além do mais, Ele teve 6 ferimentos especiais (nas duas mãos, nos dois pés, no peito e na cabeça).

Em todos esses exemplos (e há muitos outros), vemos o número 6 representando o homem, e principalmente o homem rebelde, blasfemo, SEM Deus. Estava muito próximo o desvendamento do enigma do número 7.

Morganne concluiu que não havia outra interpretação mais adequada: Na Bíblia, o homem era representado pelo número 6! Então, ele pensou na outra extremidade. E Deus? QUE NÚMERO SERIA BASTANTE ADEQUADO PARA REPRESENTAR DEUS?

Uma rápida pesquisa nas Escrituras apontava sempre para a mesma direção.

         a) Deuteronômio 6.4: “Ouve, ó Israel; o Senhor nosso Deus é o ÚNICO Senhor”;  João 17.3 “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o ÚNICO Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste”; 1 Timóteo 1.17 “Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao ÚNICO Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.”;

b) Efésios 4.6: “[Há] UM só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos”; I Timóteo 2.5: “Porque há UM só Deus, e UM só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”;

c) “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador” (Isaias 43.11); “Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus” (Isaias 44.6); “Lembrai-vos das coisas passadas desde a Antigüidade; que eu sou Deus, e não há outro; eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim” (Isaias 46.9);

d) “E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia UM será o Senhor, e UM será o seu nome” (Zacarias 14.9). Por toda a Bíblia, a mensagem é clara: Há um Único Deus, e os outros são falsos. Nos tempos antigos (como hoje), a humanidade sempre foi tentada a adorar centenas de deuses. Mas as Sagradas Escrituras se destacam de todas as outras escrituras religiosas por enfatizar que o Universo foi criado por apenas um Deus.

AGORA O SIGNIFICADO DO NÚMERO 7 SE TORNAVA CLARO, MUITO CLARO...

Juntando o número do homem (6) com o número de Deus (1), teremos como resultado: 6 + 1 = 7. Essa é exatamente a razão porque o número 7 aparece tanto na Bíblia. O simbolismo é perfeito e evidente. O homem sem Deus está incompleto, da mesma forma que os 6 dias da semana sem o Sábado estão incompletos; 6 é a criação sem O Criador; e 7 é a criação + O Criador. Portanto, na Bíblia, o número 7 representa a aliança entre Deus e o homem. Por isso é conhecido como o número da perfeição. A criação só ficou imperfeita quando Adão (número 6) se separou de Deus (número 1).

O homem somente será feliz se honrar a Deus como o Número 1 na sua vida. Por isso Deus completou os dias com o 7.º, pois este dia representa a Comunhão Dele com o homem. É 6 + 1; é a criação + O Criador; o homem + DEUS. Os 6 dias da semana sem o 7.º estão incompletos. Da mesma forma a criação SEM O Criador é imperfeita, incompleta, sem futuro. Para Morganne a mensagem do número 7 era bastante clara: A única saída para a humanidade era se voltar para Deus, a fim de atingir a perfeição. 6 + 1 = 7.

Por isso todas as religiões tinham uma reverência misteriosa por esse número, embora não conhecesse as verdadeiras razões. Todas as religiões são tentativas da humanidade em chegar até Deus, porém são tentativas frustradas. A Bíblia contém uma mensagem totalmente diferente: Não é o homem que busca Deus, mas Deus que busca o homem. Jesus sempre dizia que tinha vindo buscar e salvar o que se havia perdido.

Por essa razão, antes do Dilúvio universal havia uma única tradição que via o número 7 como sagrado por causa da narrativa da criação. Mas após o episódio da Torre de Babel, um manto de confusão cobriu as nações, gerando as religiões falsas. A partir daí todos continuaram sabendo que o número 7 tinha um significado especial, mas agora não sabiam a razão disso e tiveram de inventar, fazendo surgir as loucas teses religiosas que temos hoje, cheias de mentiras e superstições. Por essa razão há muitos ensinamentos nas religiões mundiais parecidos com os ensinamentos da Bíblia, mas são somente parecidos, indicando que um dia existiu somente uma filosofia, uma só idéia sobre Deus, porém um acontecimento trágico (torre de Babel) confundiu as coisas.

DEUS EM BUSCA DO HOMEM – A MATEMÁTICA DA VIDA ETERNA

O primeiro milagre de Jesus aconteceu em uma festa de casamento (João 2), na cidade de Caná, na Galiléia. Na ocasião, faltou vinho no meio da festa, e o constrangimento foi grande. O escritor sagrado faz questão de registrar que havia ali 6 jarras vazias... exatamente 6 jarras vazias. Isso seria por acaso? Jesus ordenou que se enchessem as jarras de água, e elas foram cheias completamente. Um filósofo disse que “há no homem um vazio do tamanho de Deus

a) AS LIÇÕES DAS 6 JARRAS

1) Eram 6 jarras de PEDRA – O homem vazio possui o coração endurecido, sem lugar para o amor a Deus e ao próximo, mas a promessa de Deus é: “Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.” (Ezequiel 36.26).

2) CANÁ significa LUGAR DE CANAS – Uma cana seca é bonita por fora, mas vazia por dentro; é alta, mas quebra-se facilmente (exatamente a situação do homem sem Deus).

3) As jarras foram cheias de ÁGUA - “Disse-me ainda: está cumprido: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem tiver sede, de graça lhe darei a beber da fonte da água da vida.” (Apocalipse 21.6). 6 + 1 = 7.

b) OS 6 HOMENS DA SAMARITANA – João 4 - Ao se encontrar com a mulher samaritana, Jesus apresentou-lhe a água da vida, a fonte que nunca seca, a água que mata a sede para sempre. Até aquele momento, ela já tinha possuído 6 homens e nenhum trouxe refrigério espiritual para a vida dela. Mas ali estava Jesus, o 7.º homem, O Único que iria preencher o coração dela para sempre. E foi o que aconteceu. 6 + 1 = 7.

c) Quando o jovem rico se aproximou de Jesus, perguntando-lhe o que devia fazer para herdar a vida eterna, Jesus citou 6 mandamentos. O jovem garantiu que cumpria todos. Mas então O Filho de Deus, disse ao jovem: FALTA-TE UMA COISA: VENDE O QUE TU TENS E SEGUE-ME! (Mateus 19.17-21). Os 6 mandamentos representam tudo que o homem acha que pode fazer para agradar a Deus. Mas se ele não fizer a 7.ª coisa, isto é, renunciar ao mundo e seguir Jesus, de nada adianta. 6 + 1 = 7.

Morganne sentia que suas descobertas aumentavam sua responsabilidade. Havia um Deus nos céus, um Criador de todas as coisas, e Ele se importava com a Humanidade. Só que havia uma separação entre eles (Deus e Humanidade), e Jesus tinha vindo do Céu para construir uma ponte, uma única ponte capaz de conduzir o homem ao encontro de Deus. Era exatamente isso que simbolizava o número 7.

A vida tem sentido. Não estamos aqui por acaso. Há um propósito para tudo. Morganne passou a divulgar a mensagem do Evangelho por todos os meios possíveis (oral, literatura, etc.). Mas havia outros questionamentos. A humanidade iria viver para sempre fazendo a mesma coisa, isto é, nascendo, vivendo, morrendo, num ciclo sem fim? Deus teria que ficar salvando as pessoas todos os dias, enquanto outras fossem nascendo, outras morrendo, e assim eternamente? Por que Deus não dava um basta à crise mundial?

Morganne se aprofundou ainda mais e descobriu uma misteriosa relação entre o número 7 e o fascinante mundo das profecias bíblicas, pois são justamente nos livros proféticos onde o número 7 mais aparece. O maior livro profético da Bíblia (O APOCALIPSE), tem somente 22 capítulos, mas nele o número 7 aparece mais de 50 vezes claramente e incontáveis vezes ocultamente. Por que?

         Cabe aqui uma observação: a Internet começou a se tornar conhecida no Brasil somente em 1994. Nas cidadezinhas do interior (especialmente no Nordeste) somente a partir do ano 2000 começamos a conhecer esse fabuloso mundo de informação na velocidade da luz. O que queremos dizer é que, escondido no interior de uma desconhecida cidade maranhense, Morganne tinha poucas fontes de pesquisa à sua disposição, mas providencialmente alguns livros, jornais e revistas (contendo alguma informação ligada às coisas que ele investigava) sempre lhe chegava às mãos. Com esse material ele foi organizando um arquivo de informações que mais tarde passou a ser chamado ARQUIVO 7.

Morganne investigou mais profundamente a razão do número 7 aparecer tanto na Bíblia, principalmente nas profecias. E descobriu uma impressionante resposta, a partir de uma pergunta que martelava sua mente:

POR QUE DEUS CRIOU O MUNDO EM 6 DIAS E DESCANSOU NO 7.º DIA, QUANDO AS MESMAS ESCRITURAS REVELAM QUE ELE NÃO SE CANSA?

Como o Todo-Poderoso foi se cansar? Jesus disse certa vez: “Meu Pai trabalha até agora e Eu trabalho também” (João 5.17). Além do mais, está escrito em vários lugares da Bíblia que O DEUS DE ISRAEL NÃO DORME E NEM COCHILA (Salmo 121). Como podemos entender o misterioso DESCANSO DE DEUS NO 7.º DIA?

Encontrando o verdadeiro significado do número 7 Morganne aproximou-se mais de Deus. Sentiu cada vez mais o amor divino ardendo em seu coração. Sua mente foi recebendo novas inspirações. Ele descobriu coisas fascinantes, encantadoras, impressionantes, sobre o uso que Deus faz dos números na Bíblia. Mas ele estava longe de imaginar que havia muitos outros segredos por trás do número 7 na Bíblia... e segredos relacionados ao fim dos tempos!

Nunca, em sua vida, Morganne tinha ouvido alguém ensinar ou pregar sobre profecias – ele somente conhecia algumas tradições sobre o fim do mundo (todas falsas). Mas um dia uma série de acontecimentos o impeliu para um mundo ainda mais misterioso e fascinante.

         Um pastor evangélico (que já conhecia o envolvimento de Morganne com aquelas coincidências, envolvendo o número 7), lhe emprestou dois livros: Um livro sobre DANIEL (= O mais importante livro profético do Velho Testamento) e outro livro sobre o APOCALIPSE (= O mais importante livro profético do Novo Testamento). Morganne ficou muito curioso: Profecias? O que ele tinha a ver com isto?

Então (em Agosto de 1990) começou a grave crise no Golfo Pérsico, quando o Iraque invadiu o Kuwait, provocando uma guerra em 1991. Nessa mesma época Morganne ficou seriamente doente, e sem poder sair de casa, começou a prestar atenção nessa guerra. Ouvia algumas pessoas falando que a crise do Golfo era cumprimento das profecias. Ele começou a ficar interessado. Começou a pesquisar as profecias bíblicas e passou a encontrar fortes relações proféticas com a guerra. E então Deus abriu seus olhos para um mundo impressionante.

         Coincidência ou não, ele foi restaurado de sua enfermidade no mesmo período em que a guerra acabou (final de Fevereiro de 1991). Mas seu modo de pensar não era mais o mesmo. A partir daí ele mergulhou profundamente no mundo das profecias bíblicas, e descobriu que o número 7 era ainda mais freqüente nos livros proféticos. E por que?

         Lembram-se dos números colegiais de Morganne no Ensino Médio? 34 no primeiro ano, 34 no segundo ano e 27 no terceiro. Esses números tinham tudo a ver com os dois maiores livros proféticos da Bíblia (conforme foi explicado antes).

O livro de Daniel tem 12 capítulos e o livro de Apocalipse tem 22.  A soma dos dois (12 + 22) é 34 (justamente o número de Morganne, no primeiro e segundo ano). Isso era somente mais uma coincidência?

         No terceiro ano do Ensino Médio seu número foi 27. Bem, pela ordem dos livros, DANIEL é o 27.º livro do Antigo Testamento e Apocalipse é exatamente o 27.º do Novo Testamento (e há somente 27 livros no Novo Testamento). Seriam somente coincidências? Certo dia ele descobriu que a palavra “MISTÉRIO” aparece exatamente 27 vezes no Novo Testamento, e no ano em que seu número foi 27 no colégio (1990) foi exatamente o ano em que ele começou a descobrir os mistérios das profecias. Coincidências?

OS NÚMEROS NA BÍBLIA REVELAM COMO DEUS MEDE OS TEMPOS E AS ESTAÇÕES

I – QUANDO DEUS DIVIDE O TEMPO NA BÍBLIA SEMPRE USA O PADRÃO 7 – É o sistema de maior predominância na Bíblia – qualquer análise da Bíblia (por mais superficial que seja) é capaz de notar essa “predominância incrível de setes”. Ao observarmos os cuidados de Deus com o povo de Israel, notamos que:

a) A cada 7.º dia, os judeus guardavam um dia de descanso (= O Sábado);

b) A cada 7 anos, havia o ano sabático, quando a terra ficava de descanso. Nenhuma semeadura, nem colheita ou poda de vinhedos. Deus prometia dar bastante no 6.º ano, que sobrava para o 7.º, e todos descansavam durante um ano.

c) A cada 49 anos (7 x 7), havia o ano do Jubileu, após o 7.º ano sabático. Isto significava dois anos seguidos de descanso.

d) 7 semanas após a festa da Páscoa, havia a festa de Pentecostes (= ou festa das semanas), e mais um descanso. A palavra “Pentecostes” significa “QUINQUAGÉSIMO”, ou 50.º.

e) O 7.º mês do Calendário Judaico é especialmente sagrado, tendo 3 festas, e novamente um período de descanso.

f) Deus estabeleceu exatamente 7 Festas para serem comemoradas anualmente por Israel: 3 no primeiro mês (= Páscoa, Pães Asmos e Primícias); 3 no 7.º mês (=Trombetas, Dia da Expiação e Tabernáculos) e uma no meio (= Pentecostes).

g) As duas primeiras festas (= Páscoa junto com os Pães Asmos) duravam 7 dias e a última (= dos Tabernáculos), também durava 7 dias.

h) Nas duas primeiras festas eram sacrificados 14 cordeiros (7 + 7) diariamente; no Pentecostes 7 cordeiros eram sacrificados; na 7.ª festa (= dos Tabernáculos), eram sacrificados 98 cordeiros (7 + 7 x 7), 70 novilhos (10 x 7), 14 carneiros (7 + 7) e 7 bodes. Observe que tudo segue o padrão 7. Por que?

i) De todas as festas, a dos Tabernáculos mais se destacava, pelo fato de ser a festa do descanso sabático. Observem bem: Essa festa era a 7.ª, durava 7 dias e acontecia no 7.º mês.

II - POR TODA A BÍBLIA PERCEBEMOS CLARAMENTE ESSA ESTRANHA OCORRÊNCIA DE SETES.

·        Quando Caim matou Abel, Deus disse-lhe que, quem o matasse, seria punido 7 vezes (Gênesis 4);

·        Um descendente de Caim, chamado Lameque, matou um homem e exclamou: “Aquele que matar Lameque será castigado 70 x 7!”;

·        Deus fez 7 promessas para Abraão (Gn 12.1-3) ;

·        Havia 7 peças de roupa no Sumo Sacerdote (Ex 28.4,42);

·        Haviam 7 objetos que eram ungidos com óleo santo;

·        Eles eram ungidos 7 vezes;

·        7 vezes era feita a unção de azeite no altar (Lv 8.10,11);

·        No 7.º mês era feito um sacrifício expiatório por todo o povo (Lv 16.29);

·        7 vezes no dia Davi louvava a Deus pela sua justiça (Sl 119.164);

·        No tempo do profeta Elias, 7 mil permaneceram fiéis a Deus, quando a nação de Israel caiu na idolatria (I Rs 19.18);

·        7 pessoas na Bíblia foram chamadas por Deus, com a repetição dos seus nomes: Abraão (Gn 22.11), Jacó (Gn 46.2), Moisés (Ex 3.4), Samuel (I Sm 3.10), Marta (Lc 10.41), Simão Pedro (Lc 22.31), e Saulo (At 9.4);

·        No pacto entre Abraão e o rei Abimeleque, foram separados 7 cordeiros (Gn 21.27-31);

·        Jacó trabalhou 7 anos por Raquel e depois mais 7 anos (Gn 29.20);

·        Um Faraó do Egito sonhou com 7 vacas magras comendo 7 vacas gordas, e 7 espigas mirradas comendo 7 espigas cheias; José interpretou o sonho dizendo que haveria de vir sobre o Egito 7 anos de fartura, seguidos de 7 anos de fome (Gn 41);

·        José chorou a morte do seu pai por 7 dias (Gn 50.10).

·        O candelabro do tabernáculo tinha 7 braços, com 7 lâmpadas (Ex 25.31-40).

·        Sansão tinha 7 tranças (Jz 16.7,13).

·        Salomão levou 7 anos para construir o Templo de Deus (I Rs 6.38).

·        O general Naamã, para ser curado da lepra, de acordo com o profeta Eliseu, mergulhou 7 vezes no rio Jordão (II Rs 5.14).

·        A criança que Eliseu ressuscitou, espirrou 7 vezes (II Rs 4.35).

·        Salomão escreveu que a Sabedoria tem 7 colunas (Pv 9.1).

·        Nabucodonosor, rei da Babilônia, mandou aquecer a fornalha 7 vezes mais para queimar os três jovens que não quiseram se ajoelhar diante da estátua (Dn 3.19).

·        No Antigo Testamento, 7 pessoas foram chamadas de “homens de Deus” : Moisés (Dt 33.1), Davi (2 Cr 8.14), Samuel (I Sm 9.6), Semaías (I Rs 12.22), Eliseu (II Rs 4.7), Elias (I Rs 17.18) e Jigdalias (Jr 35.4).

·        7 homens foram escolhidos para administrar a área social da Igreja, no livro de Atos (At 6.1-7).

·        Jesus curou o filho de um oficial, à hora 7.ª (Jo 4.52).

·        Jesus expulsou 7 espíritos malignos de Maria Madalena (Mc 16.9).

·        No capítulo 7 do 7.º livro da Bíblia (= Juízes), a palavra “trombeta” aparece 7 vezes.

·        Na multiplicação dos pães para quatro mil pessoas (sem contar mulheres e crianças), Jesus usou 7 pães e dois peixes. E no final, ainda sobraram 7 cestas cheias (Mt 14 e 15).

·        Quando estava crucificado, Jesus falou 7 vezes (Lc 23.34; Lc 23.43; Jo 19.26-27; Mc 15.34-36; Jo 19.28; Lc 23.46; Jo 19.30).

·        A famosa oração do Pai Nosso tem exatamente 7 petições (Mt 6.9-13).

·        Deus ordenou que 7 sacerdotes tocando 7 trombetas rodeassem a cidade de Jericó durante  6 dias, e no 7.º dia rodeassem a cidade 7 vezes (Js 6).

·        Jesus disse para Pedro que devemos perdoar nossos irmãos 70 x 7 (Mt 18.21-22).

·        Deus disse ao profeta Daniel que libertaria o seu povo após 70 x 7 semanas (Dn 9.24-27).

III – UMA FREQUÊNCIA INCOMUM EM GÊNESIS E APOCALIPSE, OS LIVROS QUE ABREM E FECHAM A BIBLIA

O número 7 aparece claramente mais de 50 vezes em Gênesis e mais de 50 vezes em Apocalipse. São os dois livros onde esse fenômeno numérico mais ocorre. Deve haver uma razão bem profunda para isso. É fato que tudo aquilo que começa em Gênesis tem a sua conclusão em Apocalipse. No livro do profeta Isaias Deus declara que conhece o fim desde o principio (Isaias 46.9-10; 48.3). Isto é, Ele conhece o Apocalipse desde o Gênesis. Todas as histórias reais do livro de Gênesis se parecem exatamente com certos acontecimentos que ocorreram na História milhares de anos depois (e voltarão a ocorrer no futuro), relacionados ao Plano de Deus. Alguns exemplos:

a) O Dilúvio (Gênesis 6-7). Jesus declarou que os dias de sua Segunda Vinda seriam parecidos com “os dias de Noé” (Mateus 24.37-38). No tempo de Noé a terra se encheu de violência, e os homens se tornaram piores que os animais. A mesma coisa está acontecendo hoje.

b) A destruição de Sodoma e Gomorra (Gênesis 19). Jesus também comparou o fim dos tempos aos “dias de Ló” (Lucas 17.28-29). O maior símbolo de Sodoma era o homossexualismo, os movimentos de “Orgulho Gay”, a prostituição atingindo todas as classes sociais. Será que o mesmo está ocorrendo hoje? É bom sabermos que, da mesma forma que Deus julgou os homens do tempo de Noé e de Ló julgará também os de nossos dias. Portanto, está bastante claro que há um grande parentesco profético entre os livros que abrem e fecham a Bíblia. Vejamos a estrutura héptica deles

IV – A MARAVILHOSA ESTRUTURA HÉPTICA EM GÊNESIS

- Deus criou o mundo em 6 dias e descansou no 7.º. Seis vezes Deus se mostrou satisfeito com Sua criação, dizendo que tudo que tinha criado era “bom”, e na 7.ª vez disse que “era muito bom”.

- Em Gênesis 3, quando o homem pecou e se escondeu, Deus apareceu e falou exatamente 7 vezes – na 7.ª fala expulsou o homem do jardim. Exatamente na 7.ª geração desde Adão, um homem – Enoque – é levado para o céu sem morrer!

- Exatamente no 7.º capítulo da Bíblia, Deus fala pela 28.ª vez (isto é, 4 x 7), e nessa fala Ele cita o número 7 cinco vezes. É aí que começa o Dilúvio. O Dilúvio acontece exatamente 1526 anos (218 x 7) desde Sete, o terceiro filho de Adão e Eva. Deus fala com Noé somente 7 vezes. Na 7.ª vez fala do arco-íris de 7 cores como sinal de Sua aliança com o homem. E exatamente nesse trecho a palavra “aliança” é citada 7 vezes.

- Quando Deus anunciou o Dilúvio, Noé colocou na arca 7 pares de cada animal puro e um par dos animais impuros, e das aves dos céus também colocou 7 pares. Após Noé ter entrado na arca, passaram-se 7 dias antes de começar o Dilúvio. No 7.º mês do ano 601 de Noé, a arca repousou sobre as montanhas de Ararat. E então Noé soltou três vezes uma pomba, em intervalos de 7 dias cada.

- Após o Dilúvio, os três filhos de Noé dão origem a 70 nações (10 x 7). As Sagradas Escrituras fazem questão de registrar que Sem, o filho mais velho de Noé, que se tornou um dos antepassados de Jesus, tinha 98 anos quando veio o Dilúvio. 98 é 7 + 7 x 7.

- Depois de ter aparecido para o homem 6 vezes, Deus se manifesta pela 7.ª vez para o patriarca Abraão e lhe faz 7 promessas. Do Dilúvio até Abraão se passam exatamente 427 anos (61 x 7). E na terra prometida Deus aparece exatamente 7 vezes para Abraão.

- Ao se encontrar com Isaque, filho de Abraão, Deus lhe fez 7 promessas. Isaque casou no mesmo ano em que Abraão completa 140 anos (isto é, 20 x 7), e Abraão vive ao todo 175 anos (que é 25x 7). Isaque fala 21 vezes na Bíblia (3 x 7) e na 21.ª vez abençoa Jacó, antes que este vá embora para Harã. No trecho onde Isaque abençoa Jacó (Gênesis 28.1-4) encontra-se o 777.º versículo da Bíblia.

- O primeiro encontro de Jacó com Deus acontece no 28.º capítulo da Bíblia (4 x 7); e nesta ocasião, ele tinha 77 anos, de acordo com a tradição judaica. O nome de Jacó aparece 28 vezes (4 x 7) no Novo Testamento; Ele é citado em somente 7 livros do Novo Testamento (Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos, Romanos e Hebreus). Após falar 69 vezes na Bíblia, Deus fala pela 70.ª vez justamente com Jacó, pela primeira vez. Se lembrarmos que em Gênesis Deus fala 7 vezes como o Anjo do Senhor, no encontro com Jacó Ele teria falado pela 77.ª vez.

- Antes de receber a bênção de Isaque, Jacó fala 7 vezes na Bíblia (Gênesis 25-27);  Do encontro com Deus ao encontro com sua amada Raquel, Jacó fala mais 7 vezes – Gênesis 28-29; Do encontro com o tio Labão ao acordo dos bodes listrados e malhados, Jacó fala 7 vezes – Gênesis 29-30; Do novo encontro com Deus à hora do grande medo às margens do rio Jaboque, Jacó torna a falar 7 vezes – Gênesis 31-32; Da oração por socorro divino ao encontro com Esaú, Jacó fala 7 vezes – Gênesis 32-33

- Ao encontrar-se com Esaú, Jacó ajoelha-se 7 vezes. De Esaú ao novo encontro com Deus em Betel, há mais 7 falas de Jacó – Gênesis 33-35. Da rixa de José com seus irmãos até a grande fome sobre o Egito e o mundo, há mais 7 falas de Jacó – Gênesis 37 a 42. A partir daí até o novo encontro com Deus Jacó fala mais 7 vezes – Gênesis 42 a 46. De Gênesis 46 a 49 temos as 14 falas finais de Jacó (2 x 7). Sua última fala encontra-se exatamente no 49.º capítulo da Bíblia (7 x 7). Ao todo, ele falou 70 vezes na Bíblia. A maior fala de Jacó está justamente no 49.º capítulo da Bíblia, que é 7 x 7. Ele trabalhou 7 anos pelo amor de Raquel, e depois mais 7 anos.

- O nome de Jacó é citado 35 vezes (5 x 7) em 35 versículos dos Salmos. A primeira vez é no Salmo 14 (7 + 7) e a última no Salmo 147 (21 x 7). Nos capítulos 26 a 28 de Gênesis a palavra “BÊNÇÃO” (ligada à vida de Jacó) aparece justamente 7 vezes, e a 7.ª é citada justamente logo após o 777.º versículo da Bíblia. Até os anos totais da vida de Jacó foram significativos. Ele viveu exatamente 147 anos (7 + 7 x 7). Os egípcios lamentaram sua morte durante 70 dias, e José, seu filho, chorou por 7 dias.

V – A MARAVILHOSA ESTRUTURA HÉPTICA EM APOCALIPSE

No livro do Apocalipse, que é um livro de guerra: a luz contra as trevas, O Cordeiro contra a Besta, o Nome do Herói (JESUS) é citado 14 vezes (7 + 7); e Ele é chamado de Cristo exatamente 7 vezes. Seria preciso um livro com mais de 200 páginas para se explicar a freqüência e o significado do número 7 no Apocalipse, pois lá se fala de:

- 7 Bem-Aventuranças especiais, 7 castiçais, 7 estrelas e 7 Igrejas;

- Um Cordeiro com 7 chifres e 7 olhos, que fica entre 7 tochas de fogo e é adorado com 7 palavras de louvor;

- Um livro selado com 7 selos, 7 anjos com 7 trombetas, 7 trovões, 7 personagens misteriosos, um dragão com 7 cabeças e uma fera selvagem também com 7 cabeças, representando 7 reis;

- 7 mensagens de advertências, 7 taças da ira de Deus, 7 clamores sobre Babilônia;

- 7 aberturas, 7 promessas para os mártires e 7 “jamais” contra Babilônia;

- 7 julgamentos, 7 notas de vitória, 7 coisas novas da Eternidade.

É difícil acreditar que tudo isto seja apenas uma grande coincidência, sem significado nenhum, pois muitas das palavras-chave do Apocalipse aparecem em quantidades de 7 ou múltiplos de 7.

- Palavra ESPIRITO aparece 14 vezes no Apocalipse (2 x 7). A palavra DIGNO – aparece 7 VEZES; palavra PACIÊNCIA – 7 VEZES; e a palavra CARNE – 7 VEZES.

- A expressão DEZ CHIFRES – é citada 7 VEZES; a palavra PROFECIA – 7 VEZES; e a palavra SINAL – 7 VEZES; A palavra ESTRELA – é citada no Apocalipse 14 VEZES (ao todo, são 28 vezes no Novo Testamento, ou 4 x 7).

- As palavra VIDA OU ALMA – aparecem 7 VEZES; a palavra TEMPO – 7 VEZES; a palavra TERREMOTO – 7 VEZES (14 vezes em todo o Novo Testamento). A palavra APRONTAR ou PREPARAR – 7 VEZES; a palavra VESTES – 7 VEZES; e a palavra ABISMO – 7 VEZES. A palavra NUVEM – 7 VEZES; a palavra FOICE – 7 VEZES; e a palavra AFIADA ou AGUDA – 7 VEZES.

- A palavra CÓLERA – citada 7 VEZES; a palavra AI – 14 VEZES (7 como interjeição: AI!); a palavra TROVÕES – 7 VEZES; e a palavra TROMBETA – 14 VEZES.

 VI – A ESTRUTURA HÉPTICA NOS MOVIMENTOS E PALAVRAS DE JESUS – Tudo que Jesus fez ou falou obedece a essa estranha estrutura numérica. Alguns exemplos:

- Nas 6 primeiras vezes em que Jesus fala na Bíblia, Ele usa exatamente 6 versículos e ao todo pronuncia cerca de 74 palavras; mas quando Ele fala pela 7.ª vez na Bíblia usa em torno de 2.155 palavras que ocupam 107 versículos (é o Sermão da Montanha, em Mateus 5, 6 e 7).

- Quando estava crucificado, Jesus falou 7 vezes. O casamento em Caná, onde Jesus realizou seu primeiro milagre, aconteceu 7 dias após o 1.º dia citado no Evangelho de João. No capítulo 4 do seu livro, João cita 7 conversas da mulher samaritana. E enquanto conversava com ela, Jesus falou 7 vezes:

- No Evangelho de João, ele descreve 7 milagres para provar a origem divina de Jesus e Este revela Sua Personalidade mais intima 7 vezes, usando a expressão “EU SOU”.  Na oração sacerdotal de Jesus em João 17, Ele faz 7 pedidos. Nessa mesma oração, 7 vezes Jesus falou dos cristãos dizendo que lhe foram dados pelo Pai (vs. 2, 6 – duas vezes, 9, 11, 12, 24). Os Evangelhos registram 35 milagres de Jesus (5 x 7), dos quais 7 foram realizados justamente no 7.º dia (Sábado).

- Na Genealogia de Jesus em Mateus há 42 gerações de Abraão a José, ou seja, 6 x 7. Na Genealogia apresentada por Lucas há 77 gerações, ou seja, 11 x 7. De Adão, o primeiro homem, até Abraão, pai da raça judaica, são 21 gerações, ou seja, 3 vezes 7. De Abraão, até Jessé, pai de Davi, 14 gerações, ou 2 vezes 7. De Davi, primeiro rei de Israel, até José, pai legal de Jesus, 42 gerações (6 x 7), de acordo com Lucas. De Abraão até José, pai legal de Jesus, 56 gerações (8 x 7), conforme Lucas.

Essa relação era mais do que suficiente para convencer a todos de que Deus tem uma preferência misteriosa pelo número 7. E o misterioso DESCANSO DE DEUS? Como Deus vê o tempo? É claro que Deus olha o tempo de uma forma totalmente diferente da nossa. Há especialmente duas passagens bíblicas que revelam essa perspectiva divina. Salmo 90 – “Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou, e como uma vigília da noite”. II Pedro 3.8: “Amados, não ignoreis uma coisa: UM DIA PARA O SENHOR É COMO MIL ANOS E MIL ANOS COMO UM DIA”.

A OUTRA VERDADE SOBRE O NÚMERO 7

Em 1999, estudando os profetas bíblicos, Morganne começou observar a cronologia das Sagradas Escrituras. Sua atenção foi despertada pelo fato de Jesus Cristo ter vindo ao mundo cerca de 4000 anos depois de Adão. Como 2000 anos desde a 1.ª Vinda de Cristo estavam se completando, ele ficou atônito. O 3.º milênio desde Cristo seria também o 7.º desde Adão (não exato, mas aproximado). De Adão até a 1.ª vinda de Jesus passaram-se aproximadamente 4000 anos. O 7.º milênio estava começando. Ele mergulhou de vez no estudo dos números nas profecias bíblicas, especialmente do numero 7, e toda evidência indicava que o 7.º milênio desde Adão realmente estava começando. Morganne se perguntava: QUE FORTES EMOÇÕES DEUS ESTÁ NOS PREPARANDO PARA QUANDO CHEGAR O AMANHÃ?

 30 ANOS – INICIO DE UM NOVO CICLO E INICIO DE UMA MISSÃO ESPECIAL

Estudando numerologia bíblica, ele descobriu que o Plano de Deus envolvia outros números (tais como 30, 40, 42, 50, 75, 120, etc.). Observando a vida de alguns heróis bíblicos, descobriu uma coincidência interessante. Muitos deles começaram algum trabalho importante para Deus aos 30 anos de idade. José tornou-se governador do Egito aos 30 anos; Davi tornou-se o segundo rei de Israel com a idade de 30 anos; O evangelho de Lucas diz que Jesus era da idade de quase 30 anos quando começou a pregar; O profeta Ezequiel recebeu grandes revelações de Deus no 30.º ano de sua vida; os sacerdotes e levitas entravam para o ministério das coisas sagradas aos 30 anos.

Morganne então começou a imaginar coisas: Será que alguma algo especial aconteceria em sua vida ou no mundo quando ele completasse 30 anos? Durante alguns anos (desde 1997), ele viveu com aquela sensação estranha de que nos seus 30 anos, aconteceria alguma coisa espantosa relacionada às coisas que ele investigava. Não era imaginação demais?

Setembro de 2001.

“Neste mês eu farei 30 anos... 30 anos... no dia 18 ... o mundo está tão calmo” Morganne seguia pensativo. Ele estava triste. O Arquivo 7 estava cheio de informações atualizadas, mas a grande maioria dos seus amigos estava longe, muito longe. Muitas coisas tinham acontecido entre os anos de 1988 e 2001, muitas emoções, dramas, decepções, amigos que partiram para as cidades grandes, em busca de uma vida melhor, etc. Poucas pessoas levavam as pesquisas de Morganne 7 a sério. E ele mesmo começou a ficar desanimado.

Enquanto o mundo girava, seus amigos foram se dispersando. Mas, apesar do desânimo, Morganne tinha uma certa expectativa para setembro de 2001, quando então ele faria 30 anos. E então aconteceu aquilo que mudou a história mundial.

7 dias antes do seu aniversário em 18 de setembro de 2001...

Era uma manhã de terça feira como muitas outras. Morganne saiu para o trabalho. O mundo continuava do mesmo jeito, mas não havia nenhum clima de guerra internacional. Também em Nova York, aquela manhã estava esplêndida. O dia tinha acabado de nascer e o sol sorria para todos. Milhões de pensamentos estavam ocupados com as preocupações diárias; mães preparavam seus filhos para levar para a Escola; grandes empresários saiam satisfeitos preparados para fechar grandes e importantes negócios. 11 de Setembro de 2001, terça feira. Diante daquele clima tão bom naquela linda manhã, ninguém (ou quase ninguém) esperava o inferno que estava para acontecer.

Mas aconteceu.

*******

Numa espantosa ação coordenada, e tendo como armas grandes jatos comerciais seqüestrados carregados de combustível, terroristas lançaram um gigantesco e devastador ataque contra os Estados Unidos. Os alvos não poderiam ser mais simbólicos do poderio econômico e militar dos EUA: as torres gêmeas World Trade Center, de 110 andares, no distrito financeiro de Nova York, que desabaram menos de uma hora depois de ser atingidas, às 8h45 (horário local), e o Pentágono, sede do Ministério da Defesa e do comando das Forças Armadas, em Washington.

Os vôos internacionais com destino aos EUA são desviados para o Canadá, aeroportos suspendem suas operações e as fronteiras do país são fechadas. Fumaça, poeira e entulho se espalham por um raio de mais de 20 quadras do World Trade Center. Em Cabul, o Taliban, partido fundamentalista que controla o Afeganistão e dá guarida à organização terrorista de Osama Bin Laden, nega qualquer responsabilidade no atentando. Em Washington, as primeiras suspeitas se concentram em Bin Laden, multimilionário saudita que os EUA responsabilizam por ataques com carros-bomba contra embaixadas americanas na África, em 1998. Há cerca de 15 dias os serviços de inteligência dos EUA obtiveram informações de que associados de Bin Laden falavam sobre “um ataque catastrófico” contra alvos americanos.

Especialistas em terrorismo dizem que só Bin Laden tem os recursos e a organização necessários para lançar ataques coordenados. “Estamos em guerra”, declara George W. Bush.

Em 16 de Setembro, a polícia de Nova York divulga que o número de desaparecidos no ataque às duas torres do World Trade Center é de 5.124 pessoas. Os trabalhos de resgate prosseguem em ritmo lento. As autoridades de Washington estimam em mais de 200 os mortos no ataque ao edifício do Pentágono. O poder público norte-americano aprova gasto de 40 bilhões de dólares contra o terrorismo, que serão utilizados para resgate, limpeza, reconstrução, esforços de investigação e ataques militares em retaliação às ações terroristas. Parte da ajuda solicitada em caráter de emergência será usada para levar as Forças Armadas ao máximo nível operativo e a realizar qualquer tarefa ordenada pelo presidente. “Os ataques deliberados e mortíferos foram mais do que atos de terror, foram atos de guerra”, diz Bush.

China, Federação Russa, países árabes e muçulmanos têm reação dividida aos ataques: enquanto os governos condenam a ação dos terroristas, em capitais do Oriente Médio as pessoas celebram os atentados. Os ataques contra o World Trade Center e o Pentágono poderão custar às companhias de seguro mais de 20 bilhões de dólares.

         Se cada época especial da História foi marcada por um acontecimento de proporções gigantescas (geralmente uma catástrofe), seria apenas coincidência um atentado tão poderoso ter acontecido justamente no primeiro ano oficial do 7.º Milênio desde os tempos de Adão?

*******

         11 de Setembro de 2001. Morganne estava no seu local de trabalho (mais ou menos às 11:00 h).  Naquele momento um amigo se aproximou e disse:

-Tu sabias que os Estados Unidos estão sendo atacados?

Acostumado com o jeito brincalhão de seu amigo, e achando aquela afirmação absurda demais, Morganne não deu nenhuma importância. Achou que o amigo estava se referindo a alguma intervenção americana em alguns desses paises rebeldes asiáticos ou africanos. Coisa que acontecia de vez em quando. Parecia até que Morganne tinha se esquecido da Grande Expectativa com relação àquele mês.

Aproximadamente ao meio dia, uma senhora (ligada à empresa em que ele trabalhava) aproximou-se dele e falou:

-Tu sabias que os Estados Unidos estão sendo bombardeados? Já lançaram mísseis contra a casa branca, Washington,... (Obs.: É claro que nenhum míssil foi lançado contra os Estados Unidos naquele dia, mas a senhora usou exatamente essa palavra).

- O quê? Você tem certeza? - Ele ficou paralisado. Alguns segundos depois saiu correndo feito louco até sua casa, e lá chegando, ligou rapidamente  a televisão. Ao ver as palavras “ao vivo”, olhou nos outros canais e percebeu a gravidade da coisa. A maioria dos canais estava mostrando ao vivo as torres gêmeas do World Trade Center em chamas.

-         Deus do céu! – exclamou ele – será isso o inicio do fim?

         Quando se falou da possibilidade dos terroristas serem islâmicos, ele pensou na crise árabe-israelense e na próxima guerra mundial (que segundo a Bíblia) acontecerá por causa dessa crise. Naquele momento, ele se lembrou de que há quase duas semanas antes, os Estados Unidos tinham se retirado de uma Conferência sobre racismo, na África, ao lado de Israel, em sinal de protesto, quando os árabes tentaram aprovar um documento colocando Israel como um país racista. 

Ele lembrou também que os profetas falam que na última guerra Israel ficará sozinho contra o mundo todo. Os Estados Unidos são o único país do mundo a apoiar Israel. Se eles forem destruídos, Israel ficará sozinho. Tudo isso se passou na mente de Morganne naquele momento tenso, pois havia mais de 10 anos que ele estudava esse tipo de coisa.

         De repente, uma outra coisa o deixou ainda mais perplexo. Olhou para o calendário. Era 11 de setembro. Isto significava que faltava então 7 dias para o seu aniversário de 30 anos, a idade profética! Exatamente 7 dias! Mas isso não era tudo. A data de seu aniversário em 2001 iria coincidir exatamente com a comemoração da Festa das Trombetas, em Israel, uma festa profética, simbolizando um acontecimento especial do final dos tempos, conforme Morganne descobriu investigando o mistério do número 7.

Será que tudo não passava de coincidências? Se fossem, eram coincidências demais para serem ignoradas. E se não fossem?

*******

Última semana de Setembro de 2001. Morganne estava tenso, muito tenso. Acompanhava pela TV a agitação mundial por causa dos ataques terroristas aos Estados Unidos. Todos aguardavam a decisão americana. Será que os Estados Unidos atacarão ou não o Afeganistão? Morganne olhou para o calendário. Na outra semana começaria a Festa dos Tabernáculos em Israel. Esta festa tem um grande significado nas profecias da Bíblia e estava muito ligada às pesquisas de Morganne, pelas seguintes razões:

- É uma das 7 festas proféticas de Israel, conforme o mandamento do Senhor em Levítico, capítulo 23;

- É exatamente a 7.ª festa;

- É realizada no 7.º mês do calendário religioso judaico (que é o 1.º do calendário civil);

- Tem a duração de 7 dias;

- Nos tempos bíblicos durante a realização dessa festa era sacrificado um número significativo de animais, sempre no padrão 7: 7 bodes, 14 carneiros (2 x 7), 70 novilhos e 98 cordeiros (que é 7 + 7 x 7);

- De acordo com os profetas essa última Festa simboliza o futuro Reino de Cristo na Terra (Zacarias 14).

Morganne tocou no calendário e observou o período da lua cheia. Notou que em 2001 a festa judaica dos Tabernáculos aconteceria na 1.ª semana de Outubro, ou seja, do dia 1.º ao dia 7.

Ele começou a imaginar coisas. No período da Festa das Trombetas, o mundo estava em choque por causa do atentado às torres americanas. Agora, estava se aproximando a última das 7 festas proféticas judaicas. Será que alguma coisa especial (e dramática) iria acontecer na próxima semana, durante a comemoração da 7.ª festa?

Ele estava tenso por causa de suas teses estarem se encaixando perfeitamente com os acontecimentos mundiais atuais. Sua experiência quase um mês atrás (11 de Setembro) foi inquietante. Aproxima-se da janela, olha o céu azul e ventilado e pensa: “Será que ainda temos tempo para publicarmos as pesquisas do Arquivo 7?”

*******

07 de Outubro de 2001, domingo. 13 horas e pouco mais de 30 minutos. Um plantão jornalístico interrompeu o programa de televisão que Morganne estava assistindo. O noticiário informava que os EUA haviam iniciado há poucos minutos o ataque ao Afeganistão. Morganne ficou paralisado. Na sua mente ficou como que piscando uma data: 07 de Outubro! Por que?

Ele correu para conferir suas pesquisas e ficou novamente tenso. Uma estranha mistura de emoções: ansiedade e excitação. De acordo com o calendário judaico, aquele 07 de Outubro naquele ano estava coincidindo com o 7.º dia da festa dos Tabernáculos.

Novamente as teses do Arquivo 7 vinham à tona. O inicio do 7.º milênio estava sendo muito agitado. Morganne descobriu mais uma coisa: Aquele 07 de Outubro era exatamente o 280.º dia do ano, ou seja, 40 x 7. na Bíblia, o número 40 é profético e significa PROVAÇÃO E SOFRIMENTO.  Alguns exemplos:

         No Dilúvio choveu 40 dias e 40 noites; o povo de Israel foi provado 40 anos no deserto; Moisés passou 40 dias no monte, sem comer ou beber; Elias viajou 40 dias sem comer; Jesus ficou sem comer no deserto durante 40 dias; o profeta Jonas disse que dentro de 40 dias a cidade de Nínive seria subvertida; os três primeiros reis de Israel (Saul, Davi e Salomão) reinaram, cada um, durante 40 anos, etc.

Naquela 40.ª semana de 2001 estava começando mais uma provação para o sofrido povo afegão. Quem teria imaginado que toda aquela série de coincidências envolvendo o número 7 fosse terminar em algo tão sério?

VIVENDO NOS ACRÉSCIMOS DE DEUS - O 7.º (ou 3.º) Milênio desde Adão, já começou (na contagem humana), mas é bom observar que Deus não terminou sua obra no 6.º dia. A Bíblia diz que Ele concluiu sua obra no 7.º dia e depois descansou. Gênesis 2.3 diz claramente: “E havendo Deus terminado no dia 7.º a sua obra, que fizera, descansou nesse dia...”. Assim, como Ele trabalhou algumas horas (ou minutos) no dia 7.º, é como uma indicação profética de que haverá ainda um certo tempo dentro do 7.º Milênio para o homem (= sua última chance), antes de começar o Dia de Deus.  No tempo de Noé, quando tudo estava pronto, a Arca estava concluída, Noé e sua família estavam protegidos, DEUS AINDA AGUARDOU 7 DIAS ANTES DE ENVIAR O DILÚVIO. O juízo foi prorrogado por 7 dias, mas ninguém aproveitou. Será que o mesmo voltará a acontecer agora?

MAIS PROVAS SOBRE A CONCLUSÃO DO TEMPO DO HOMEM NA TERRA (6 DIAS, 6.000 ANOS) - O 6.º Milênio (que terminou recentemente no ano 2000) foi o milênio das maiores realizações humanas: invenções fantásticas (telefone, televisão, computador, rádio, automóvel, avião, etc.), viagem a lua, exploração de outros planetas, etc.  Por que essas tecnologias não foram desenvolvidas nos outros milênios? Por que justamente no final do 6.º? Somente no final deste 6.º milênio:

Aconteceram as duas piores guerras da humanidade; O homem inventou a pior das armas – a bomba atômica; A humanidade alcançou o numero de 6.000.000.000 (seis bilhões) de habitantes; Somente neste 6.º milênio, ocorreu uma guerra mundial com duração de 6 anos, quando 6.000.000 de judeus foram assassinados; quando uma arma jamais usada antes foi lançada contra seres humanos justamente num dia 6 de agosto (o 6.º mês do antigo calendário romano) de 1945; que explodiu a exatamente 600 metros de altura, produzindo uma bola de fogo de 60  metros de diâmetros, causando uma destruição de 6 horas. Seriam apenas coincidências?

PODEMOS RESPONDER AGORA A PERGUNTA: POR QUE DEUS DESCANSOU NO 7.º DIA, QUANDO A BÍBLIA DIZ QUE ELE NÃO SE CANSA?

Na verdade, Ele nunca descansou. Ele não poderá fazer isto enquanto o inimigo estiver solto. O misterioso descanso de Deus no 7.º dia, é na verdade, uma indicação profética mostrando que Ele só descansará quando o inimigo for destruído e o mundo redimido. Se esse descanso profético aconteceu no 7.º dia, e para nós já começou o 7.º Milênio desde Adão, tudo indica que está chegando a hora da consumação.

MAS NÃO HÁ COMO SABERMOS QUANDO DEUS IRÁ CONCLUIR A HISTÓRIA HUMANA! É UM SEGREDO DELE, NENHUM SER PODE DESCOBRIR. TUDO QUE PODEMOS SABER, ESTUDANDO OS NÚMEROS E AS PROFECIAS, É QUE ESTAMOS MUITO PRÓXIMO DAS GRANDES REVIRAVOLTAS PREDITAS NA BÍBLIA.

MAS SOMENTE DEUS CONHECE A DATA EXATA!

ESTE É O TEMPO DE CONHECERMOS OS SEGREDOS DE DEUS?

A Bíblia revela uma impressionante estrutura numérica relacionada às profecias e aos acontecimentos mundiais que mudaram a História. O surpreendente é que, justamente em nossa época, parece que todos os acontecimentos mundiais possuem uma relação e todos apontam para a conclusão da história humana.

01 – AS 7 ÉPOCAS DA HUMANIDADE – A Bíblia ensina que a Humanidade passará por 7 grandes provas antes do estabelecimento do Reino de Cristo na terra – atualmente, estamos no final da 6.ª prova.

02 – OS 7 IMPÉRIOS MUNDIAIS – A Bíblia revela que 7 impérios se levantarão na terra para humilhar o povo de Deus, mas esses impérios serão destruídos quando Cristo retornar. Nos dias de hoje, de acordo com as evidências, o 7.º império está sendo formado.

03 – AS 7 ÉPOCAS DA IGREJA CRISTÃ – A Bíblia ensina que a Igreja Cristã passará por 7 épocas antes do Retorno de Cristo – Atualmente, chegamos à sétima.

A Bíblia é um livro de profecias. Essas predições foram reveladas não para matar a curiosidade do homem sobre o futuro, mas para demonstrar a perfeição do Plano de Deus e para provar a realidade da SEGUNDA VINDA DE CRISTO. Desde a década de 40 (do século que terminou recentemente) até agora estamos sendo confrontados diariamente com centenas de profecias antigas em cumprimento.

AS PROFECIAS BÍBLICAS AFIRMAM CLARAMENTE QUE JESUS VOLTARÁ PARA ESTABELECER O SEU REINO NA TERRA, QUANDO:

01 – OS JUDEUS ESTIVESSEM DE VOLTA À SUA ANTIGA PÁTRIA, APÓS PASSAREM CENTENAS DE ANOS DISPERSOS ENTRE AS NAÇÕES (Ezequiel caps. 36 e 37).

Em 14 de Maio de 1948 foi criado o moderno Estado de Israel, e já retornaram judeus de mais de 120 países.

02 – QUANDO A CIDADE DE JERUSALÉM VOLTASSE PARA O CONTROLE DOS JUDEUS (Zacarias caps. 12 e 14; Lucas 21.24).

Durante 2553 anos Jerusalém foi dominada por várias nações pagãs (Babilônia, Pérsia, Grécia, Roma, Turcos, Árabes, etc.), até o dia 07 de Junho de 1967, quando, durante a Guerra dos 6 dias entre Israel e mais de 6 países árabes, ela voltou para as mãos dos judeus.

03 – QUANDO, NA EUROPA, OS MESMOS PAISES QUE ESTAVAM UNIDOS NA PRIMEIRA VINDA DE CRISTO (FORMANDO O IMPÉRIO ROMANO) VOLTASSEM A SE UNIR, FORMANDO UM ÚLTIMO IMPÉRIO MUNDIAL, SOB O COMANDO DE UM LÍDER DIABÓLICO CHAMADO DE ANTICRISTO (Daniel caps. 2 e 7; Apocalipse 13 e 17).

No ano de 1957 seis países europeus resolveram fazer uma aliança. Com o passar dos anos, esse grupo foi aumentando e hoje já conta com 25 países, tem uma moeda em comum (O EURO), uma bandeira em comum, uma constituição em comum (em elaboração), e o plano de unir o mundo todo sob o comando de um só líder. Coincidências?

04 – QUANDO, HOUVESSE UMA TECNOLOGIA QUE PERMITISSE O CONTROLE TOTAL DE TODA A POPULAÇÃO DO MUNDO (Apocalipse 13).

Esse sempre foi o sonho dos ditadores. A Bíblia diz que isso IRÁ ACONTECER. Mas como controlar todos os habitantes do planeta terra de tal forma que quem quiser negociar (comprar ou vender alguma coisa) só faça isto se estiver cadastrado no sistema mundial? Hoje isto é fácil demais de se realizar, pois os governos sabem quase tudo sobre seus cidadãos e a vida de quase todo mundo está dentro de um computador. O incrível é que esse cenário atual foi previsto há 2000 anos atrás. Certamente você já viu algumas reportagens mostrando a tremenda eficiência de um chip eletrônico escondido debaixo da pele humana (no braço ou na testa). Quem teria imaginado isso há 2000 anos atrás? Deus! O palco está preparado, falta somente o grande líder que comandará a cena (o Anticristo).

05 – QUANDO HOUVESSE UM MOVIMENTO PELA UNIÃO DE TODAS AS RELIGIÕES, E QUANDO O MUNDO TODO ESTIVESSE ABRAÇANDO AS ANTIGAS CRENÇAS PAGÃS DE BABILÔNIA (ASTROLOGIA, REENCARNAÇÃO, TERAPIAS MEDIÚNICAS, REGRESSÃO, CONTATOS COM ESPIRITOS-GUIAS, CONTATO COM SUPOSTAS ENTIDADES DO ESPAÇO (chamada na Bíblia de DEMÔNIOS), COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS, REJEIÇÃO AOS PRINCIPIOS DO CRISTIANISMO, ETC.).

Isso está acontecendo hoje ou é imaginação nossa? Em Apocalipse 17 essa futura religião global (apoiada inicialmente pelo Anticristo) é chamada de PROSTITUTA BABILÔNICA. Seriam apenas coincidência que exatamente no ano de 1948 (ano em que os judeus voltaram para sua antiga pátria), foi criado na Holanda o CMI (Conselho Mundial de Igrejas), cujo principal objetivo é unir todas as religiões para formar uma religião única (não importando se entre elas há religiões que odeiam Jesus e adore demônios)? Atualmente o Movimento Ecumênico está a cada dia mais forte, e está cada vez mais sendo influenciado pelo Vaticano (exatamente como predito nas profecias).

06 – QUANDO HOUVESSE UMA AMEAÇA REAL DA EXTINÇÃO DA RAÇA HUMANA, QUANDO AS FORÇAS CLIMÁTICAS ESTIVESSEM CADA VEZ MAIS LOUCAS, QUANDO A DECADÊNCIA MORAL ESTIVESSE ABALANDO TODOS OS SETORES DAS FAMILIAS E DA SOCIEDADE,QUANDO O HOMOSSEXUALISMO ESTIVESSE SENDO ACEITO COMO COISA NORMAL, QUANDO O CONTATO ENTRE  SERES HUMANOS E ESPÍRITOS (diga-se demônios) FOSSE CADA VEZ MAIS FREQUENTE, etc.

Há centenas de textos bíblicos falando sobre isso (Mateus 24.22; Isaias 13; Apocalipse 9; Apocalipse 16; Gênesis 19; Lucas 17; Apocalipse 8; Isaias 24; Lucas 21.25-26; Gênesis 6; Mateus 24; I Timóteo 4.13;   .

07 – QUANDO AS NAÇÕES ÁRABES ESTIVESSEM AMEAÇANDO O POVO DE ISRAEL E O MUNDO, QUANDO A MORTE DA TERÇA PARTE DA HUMANIDADE FOSSE UMA AMEAÇA REAL, QUANDO OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO ESTIVESSEM CADA VEZ MAIS FREQUENTES (PRINCIPALMENTE NA REGIÃO DO GOLFO PÉRSICO), QUANDO O MUNDO TODO ESTIVESSE PREOCUPADO COM A CRISE ENTRE ISRAEL E OS ÁRABES.

Apocalipse 9.13-18; Gênesis 16.12; Salmo 83; Zacarias 12 e 14; Ezequiel 38 e 39, etc.- Qualquer pessoa que hoje pegar um jornal, no noticiário internacional, e comparar com a Bíblia (principalmente nos livros proféticos), ficará impressionado.

         É impressionante como esses acontecimentos estão ocorrendo TODOS AO MESMO TEMPO, exatamente no inicio do SÉTIMO MILÊNIO DESDE ADÃO (pela contagem humana)!

         Morganne descobriu todas essas coisas na Bíblia a partir da obsessiva investigação sobre o número 7. Será que aquela oração esquisita pedindo o mistério a Deus foi atendida?

As profecias afirmam que não precisamos temer o futuro, se estivermos em paz com Deus, amando e aguardando a Vinda do Senhor Jesus, pois o melhor de tudo está para acontecer. O Retorno de Cristo a este planeta conturbado é a nossa ÚNICA ESPERANÇA! Todos sentimos um grande peso na alma, um tormento interior. Mas a grande promessa da Bíblia é que há DESCANSO PARA AS NOSSAS ALMAS, se entregarmos nossas vidas nas mãos de Jesus. As profecias afirmam que um dia a natureza e as pessoas que fizeram as pazes com Deus irão DESCANSAR NUM NOVO MUNDO, SEM MALDADE E SEM LÁGRIMAS.

Será possível sabermos quando acontecerá esse descanso? Não, não podemos conhecer a data exata, mas as profecias indicam claramente a ÉPOCA em que esse maravilhoso evento irá acontecer.

CONCLUSÃO – OS CICLOS DE SETES E A RELAÇÃO COM O DESCANSO

 É incrível como na Bíblia há uma relação bem profunda entre os ciclos de SETES e o DESCANSO. Vejamos alguns exemplos:

·        NA 7.ª HORA – Jesus DESCANSOU do seu sofrimento na Cruz, após ficar 6 horas crucificado.

·        NO 7.º DIA – Deus DESCANSOU da obra da criação.

·        NA 7.ª SEMANA após sair do Egito, o povo de Israel DESCANSOU junto ao Monte Sinai.

·        NO 7.º MÊS – A Arca de Noé REPOUSOU nas montanhas de Ararat – e Israel tem uma festa com 7 dias de descanso justamente no 7.º MÊS.

·        NO 7.º ANO era o ANO SABÁTICO, quando o povo de Israel DESCANSAVA de maneira especial.

·        NO 7.º SÉCULO de sua vida, Noé (com 601 anos), saiu da Arca para o novo mundo, que REPOUSAVA da maldade e passou muito tempo trabalhando em PAZ com sua família.

Veja só: 7.ª hora, 7.º dia, 7.ª semana, 7.º mês, 7.º ano, 7.º século... Exatamente 6 tipos de medida de tempo. Para tudo ficar completo, perfeito, falta mais uma medida, o Milênio. Seis tipos de descanso já aconteceram em 6 tipos de tempo. Mas estamos no inicio do 7.º Milênio desde Adão. Será que está muito próximo O DESCANSO DO POVO DE DEUS?

UMA CURIOSIDADE FINAL – 7, O SIGNO DOS ENIGMAS?

O livro da Bíblia onde mais aparece a palavra “enigma” é justamente o 7.º, ou seja, o livro dos Juízes. O capítulo bíblico onde mais aparece a palavra “enigma” é exatamente o 14.º desse livro, que é 7 + 7; e a palavra “enigma” aparece pela 7.ª vez no versículo 17 do 14.º capítulo, ao lado das expressões “sete dias” e “sétimo dia.”

Em nossas pesquisas descobrimos que ninguém gosta mais de enigmas do que DEUS. Com isso em mente, observe agora a seguinte curiosidade numérica, onde usamos os valores das letras, pelo número de ordem das 26 letras do alfabeto moderno:

E     N     I     G     M    A

5 + 14 + 9 + 7 +  13 + 1 = 49 (7 x 7)

 

D    E    U      S

4 + 5 + 21 + 19 = 49 (7 x 7)

 

S     E     T     E

19 + 5 + 20 + 5 = 49 (7 x 7)

 

         Cada uma das três palavras possui uma ligação entre si, o valor é o mesmo e é exatamente o quadrado perfeito de 7. Coincidência?

UMA PALAVRA FINAL DE MORGANNE, ou melhor,

MOACIR R. S. JUNIOR

Existem ainda muitos mistérios que descobri quando procurei o significado do número 7 na Bíblia e alguns deles tenho divulgado através da Internet. Meu maior desejo é que, neste mundo onde a palavra DEUS cada vez mais perde o sentido, as pessoas se voltem para ELE, acreditando que a Bíblia é a Revelação DELE para a Humanidade.

Se ao menos uma pessoa (no meio de 6.000.000.000 de habitantes deste planeta) se voltar para Deus após a leitura deste artigo, acredito que terei cumprido minha missão, pois a Bíblia afirma que uma ALMA VALE MAIS DO QUE O MUNDO INTEIRO (Mateus 16.26). '

“Então Pedro, aproximando-se dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.”

(Mateus 18.21,22)

 Quer dizer alguma coisa para o autor, ou mesmo tirar alguma dúvida, questionar, criticar, qualquer coisa? É só enviar um e-mail para o endereço abaixo:

morganne777@hotmail.com